quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Sobre o amor.

São as Incidentais forças cognitivas,
o instinto indomável da perpetuação?
Ou irracionalidades incompreendidas,
dos incompatíveis sentidos opostos?

O amor, contraditórias convivências,
busca obstinada do querer no espelho,
das fátuas felicidades, puro hedonismo
E desencontrado no efêmero eterno.

Mas o inevitável sempre acontecerá:
O modelo perfeito, exato, imaginado
e rivalizado em certas expectativas.
Só os cães sabem o que é o amor.

André Bianc

Nenhum comentário:

Postar um comentário