quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Diário de um urubu fracassado


Dilato e comprimo a coadjuvante não experimentação
Dos seculares conceitos que permeiam a existência do ser
Até a exaustão da absurda e transloucada condição humana
Das indisciplinas repressoras que tanto nos domina.

Interrogando a si próprio, torturo as evasivas respostas,
Na oposta instância alquímica de inúmeras equivalências
Que poderiam talvez equilibrar a simbologia imaginária
Do exercício das vontades que sucumbem no poço cerebral.

Com o teorético racionalismo em seus suportes adequados
Reconhecidamente falido nas íntimas e vãs tentativas
De identificar os equívocos dos pensamentos sucessivos
Em vários eixos tortuosos dos inconscientes abstraídos.

E com toda essa perturbação adquirida no curso dessa aventura
Da alma petrificada que habita nos mundos diferentes e iguais,
Estática no adiamento incidental das mesmas e velhas ideias.
Essa retórica foi comprada num mercado barato de pulgas.

(André Bianc)

Nenhum comentário:

Postar um comentário